Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Perguntas Frequentes

Na atual estrutura do Governo do Estado do Rio Grande do Sul existem dúvidas quanto às áreas de atuação da Subchefia de Ética, Controle Público e Transparência da Secretaria da Casa Civil e da Ouvidoria-Geral do Estado. Embora por determinação legal devam agir de forma integrada (art. 8º, §2º, do Decreto nº 52.235/2015), ambas possuem competências distintas.

Subchefia de Ética, Controle Público e Transparência possui as competências definidas no Decreto nº 52.235/2015 (e alterações posteriores), as quais são exercidas nos termos que seguem:

Serviço de Informação ao Cidadão - SIC: atua na Gestão Central do Canal (art. 4º, inciso XI, do Decreto nº 49.111/2012). O SIC visa o cumprimento da Lei Federal nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação - LAI), regulamentada no Estado do Rio Grande do Sul pelo Decreto nº 49.111/2012;

Canal Denúncia: atua na Gestão Central do Canal (art. 4º do Decreto nº 54.155/2018). O Canal Denúncia visa à apuração de notícias de atos ou condutas contrários à ética e/ou à Lei praticados no âmbito do Poder Executivo Estadual;

Comissão Mista de Reavaliação de Informações (CMRI/RS): integra a Comissão e atua na Secretaria Executiva (art. 23, inc. I e §1º, Decreto nº 49.111/2012 e art. 2º, inc. I, e art. 5º, do Decreto nº 51.111/2014). A CMRI/RS possui suas competências definidas no art. 22 do Decreto nº 49.111/2012, bem como no art. 1º do Decreto nº 51.111/2014;

Dados Abertos: atua na gestão da política de dados abertos no Poder Executivo Estadual (art. 5º do Decreto nº 53.523/2017);

Mapa da Transparência: Divulga mapas e gráficos interativos que apresentam onde o dinheiro do Estado é aplicado;

Transparência Ativa: atua no fomento da transparência ativa junto aos órgãos do Poder Executivo Estadual visando o atendimento da Lei de Acesso à Informação - LAI (art. 6º do Decreto nº 49.111/2012);

Comissão de Ética Pública (CEP): atua na Secretaria Executiva da Comissão, nos termos do art. 3º, §3º, do Decreto nº 45.746/2008 e art. 6º do Decreto nº 53.122/2016;

Outros assuntos que contam com a atuação da Subchefia de Ética, Controle Público e Transparência: desde o ano de 2014 integra a Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro – ENCCLA, sendo participante das Ações 1 e 6 no ano de 2018; foi convidada a integrar, no início de 2018, a Rede de Controle da Gestão Pública do RS; possui indicadores e entregáveis no Acordo de Resultados celebrado pela Secretaria da Casa Civil e monitorado pela Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão - SPGG.

Sobre a Ouvidoria-Geral do Estado (OGE/RS):

A Ouvidoria-Geral do Estado está vinculada à Secretaria da Casa Civil e atua como órgão central do Sistema Estadual de Ouvidoria do Poder Executivo Estadual – SEO/RS, que é instituído pela Lei nº 14.485/2014. É responsável por receber, examinar e encaminhar as manifestações referentes às reclamações, solicitações, sugestões e elogios.   

As manifestações recebidas pela Ouvidoria-Geral do Estado decorrem do exercício da cidadania e possibilitam a contínua melhoria dos serviços públicos, sendo que demais informações poderão ser obtidas junto ao link: http://ouvidoriageral.rs.gov.br/ouvidoria.

Outras Informações Úteis:

Postos de Atendimento Presencial Exclusivo: A Subchefia de Ética, Controle Público e Transparência (Serviço de Informação ao Cidadão - SIC e no Canal Denúncia) e a Ouvidoria-Geral do Estado prestam atendimento ao público nos mesmos locais (Centro Administrativo Fernando Ferrari e Tudo Fácil – Centro).

Gerência de Portais: A Subchefia de Ética, Controle Público e Transparência gerencia o http://www.centraldeinformacao.rs.gov.br/inicial (a exceção dos assuntos relacionados à Ouvidoria-Geral do Estado), enquanto que a Ouvidoria-Geral do Estado gerencia o http://ouvidoriageral.rs.gov.br/ouvidoria.

Programa Facilita RS: As denúncias relativas ao descumprimento do Programa deverão ser encaminhadas para o Canal Denúncia (art. 17 do Decreto nº 54.019/2018), que é gerido pela Subchefia de Ética, Controle Público e Transparência; enquanto que as sugestões de simplificação deverão ser encaminhadas para a Ouvidoria-Geral do Estado (art. 13, §1º, do Decreto nº 54.019/2018).

1. O Estado do Rio Grande do Sul possui alguma legislação que regulamente a Lei de Acesso à Informação/LAI (Lei Federal nº 12.527/2011)? 

Sim. A Lei Federal nº 12.527/2011 (LAI) foi regulamentada no Estado do Rio Grande do Sul pelo Decreto nº 49.111/2012, com alterações posteriores (Decretos nºs 52.505/2015 e 53.454/2017).

2. Quem pode solicitar acesso à informação e/ou documento público? 

Qualquer interessado poderá solicitar acesso à informação e/ou documento público através do Serviço de Informação ao Cidadão – SIC (artigo 7º, do Decreto nº 49.111/2012).

3. Preciso motivar meu pedido de acesso?

Não. É vedada a solicitação de motivação do pedido de acesso à informação.

4. Como faço para encaminhar pedido de acesso à informação e/ou documento público ao Governo do Estado do Rio Grande do Sul? É possível o encaminhamento de pedido pela via física (ofício, petição, etc)? 

Para encaminhar pedido de acesso à informação e/ou documento público ao Governo do Estado do Rio Grande do Sul qualquer interessado poderá acessar o Serviço de Informação ao Cidadão – SIC (http://www.centraldeinformacao.rs.gov.br/informacoes), mediante a obtenção prévia do Login Cidadão (primeiro acesso).

Em virtude do disposto no art. 7º do Decreto nº 49.111/2012, somente serão recebidos pedidos de acesso à informação e/ou documento público encaminhados em formulário eletrônico, via Serviço de Informação ao Cidadão – SIC.

Sendo enfrentada alguma dificuldade pelo cidadão no acesso ao SIC, o Governo do Estado do RS, por intermédio da Subchefia de Ética, Controle Público e Transparência da Secretaria da Casa Civil, disponibiliza 02 (dois) Postos de Atendimento Presencial, sendo um localizado no Centro Administrativo Fernando Ferrari - CAFF e outro no Tudo Fácil – Centro, ambos em Porto Alegre/RS.

5. Onde se encontram os Postos de Atendimento Presencial para me auxiliar no encaminhamento de pedidos de acesso à informação e/ou documento público? Quais os dias e horários de atendimento ao público? 

O Governo Gaúcho disponibiliza a qualquer interessado 02 (dois) Postos de Atendimento Presencial Exclusivo, em observância ao disposto no art. 7º do Decreto nº 49.111/2012, a saber:

CAFF- Centro Administrativo Fernando Ferrari

Av. Borges de Medeiros, nº 1501, Térreo

Porto Alegre/RS

Dias e horários de atendimento: De segunda à sexta-feira, das 8h30min às 12h e das 13h30min às 18h

TUDO FÁCIL - CENTRO

Av. Borges de Medeiros, nº 521, 4º pavimento, Setor 11

Porto Alegre/RS

Dias e horário de atendimento: segunda-feira à sexta-feira, das 8h30min às 13h30min e das 15h às 18h.

6. Posso fazer um pedido de acesso à informação e/ou documento público sem me identificar (anônimo)? 

Não. É exigida, por determinação legal, a identificação mínima do Demandante (artigo 8º-A do Decreto nº 49.111/2012, com alterações introduzidas pelo Decreto nº 52.505/2015).

Além disso, no primeiro acesso a um dos serviços do Portal Central de Informação (http://www.centraldeinformacao.rs.gov.br), nestes incluído o Serviço de Informação ao Cidadão – SIC, o Demandante deverá preencher o formulário eletrônico para a obtenção do Login Cidadão, onde serão solicitados dados pessoais.

7. Qual o prazo para resposta do meu pedido de acesso à informação e/ou documento público? 

O prazo para resposta é de 20 (vinte) dias, prorrogáveis, mediante justificativa expressa, por mais 10 (dez) dias, conforme previsão do art. 9º, §1º e §3º, do Decreto nº 49.111/2012.

8. Posso enviar um pedido de acesso à informação e/ou documento público a órgão que não esteja vinculado ao Poder Executivo Estadual (esferas municipal, federal, privada etc) por intermédio do Serviço de Informação ao Cidadão – SIC, disponível no site http://www.centraldeinformacao.rs.gov.br

Não. O Serviço de Informação ao Cidadão – SIC, disponível no site http://www.centraldeinformacao.rs.gov.br, atende exclusivamente a pedidos de acesso que versem a respeito de dado e/ou documento público do Poder Executivo Estadual.

Caso o pedido de acesso a informação e/ou documento público seja relacionado às esferas municipal ou federal, Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça e etc, deverá ser acessado o Serviço de Informação ao Cidadão próprio de cada órgão.

9. Como faço para acompanhar o meu pedido de acesso à informação e/ou documento público, encaminhado via Serviço de Informação ao Cidadão - SIC? 

Após o envio do pedido, será disponibilizado um número de protocolo para o seu acompanhamento no link: http://www.centraldeinformacao.rs.gov.br/acompanhamento-do-pedido-de-informacao.

10. No caso de indeferimento do pedido de acesso à informação e/ou documento público ou às razões da negativa do acesso, existe a possibilidade de reexame da resposta? Como devo encaminhar? Qual o prazo para o encaminhamento do pedido de reexame? 

Sim. O art. 19 do Decreto nº 49.111/2012 estabelece a possibilidade de reexame da resposta encaminhada ao pedido de acesso à informação e/ou documento público, o qual será submetido à resposta da autoridade máxima do órgão ao qual se vincula (art. 20 do Decreto nº 49.111/2012).

 A resposta ao pedido de informação será encaminhada para o e-mail cadastrado quando do preenchimento do formulário do Login Cidadão. Neste e-mail da resposta já constará um link próprio para o envio do pedido de reexame, bem como uma orientação a respeito do prazo de 10 (dez) dias para sua interposição (art. 19 do Decreto nº 49.111/2012).

11. Qual o prazo para resposta do pedido de reexame? 

O prazo de resposta do pedido de reexame é de 10 (dez) dias, nos termos do art. 20 do Decreto nº 49.111/2012 (improrrogável).

12. Da resposta do reexame cabe algum recurso? Como devo encaminhar? Qual o prazo? 

Sim. Recebida a resposta ao pedido de reexame e mantida a decisão impugnada (total ou em parte), o interessado poderá interpor recurso dirigido à Comissão Mista de Reavaliação de Informações – CMRI/RS (art. 21, do Decreto 49.111/2012).

A resposta ao pedido de reexame será encaminhada para o e-mail cadastrado quando do preenchimento do formulário do Login Cidadão. Neste e-mail da resposta já constará um link próprio para a interposição do recurso, bem como uma orientação a respeito do prazo de 10 (dez) dias para o seu encaminhamento (art. 21 do Decreto nº 49.111/2012).

13. O que é a CMRI/RS? Quais são as suas competências? É composta por membros de quais órgãos do Poder Executivo Estadual? 

A Comissão Mista de Reavaliação de Informações do Estado do Rio Grande do Sul – CMRI/RS é o órgão colegiado que decide, no âmbito da Administração Pública Estadual, sobre o tratamento e classificação de informações sigilosas; julga recursos oriundos de pedidos de acesso à informação (art. 21 do Decreto nº 49.111/2012); subsidia decisões dos órgãos e entidades da Administração Pública Estadual nas temáticas relacionadas ao cumprimento da Lei de Acesso à Informação, entre outras competências previstas no Decreto nº 49.111/2012 e no Decreto nº 51.111/2014.

A CMRI/RS é composta por membros titulares e suplentes dos seguintes órgãos do Executivo Estadual (art. 23, incisos I a IX, do Decreto nº 49.111/2012 e art. 2º, incisos I a IX, do Anexo Único do Decreto nº 51.111/2014): Secretaria da Casa Civil, pela Subchefia de Ética, Controle Público e Transparência; Procuradoria-Geral do Estado; Secretaria do Planejamento, Governança e Gestão; Secretaria da Educação; Secretaria da Segurança Pública; Secretaria da Fazenda, pela Contadoria e Auditoria-Geral do Estado; Secretaria da Modernização Administrativa e dos Recursos Humanos, pelo Arquivo Público do Estado; Secretaria do Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos; e Secretaria da Saúde.

14. Qual o prazo que a CMRI/RS possui para julgar o recurso? 

O recurso deverá ser apreciado até a terceira reunião ordinária subseqüente à data da sua autuação. Neste sentido, sobre a periodicidade das reuniões ordinárias da CMRI/RS, a mesma se encontra estabelecida no Anexo Único do Regimento Interno da mesma (Decreto nº 51.111/2014), art. 9º (a cada 02 meses).

15. Existe na esfera administrativa, além do reexame e do recurso, outra possibilidade de insurgência quanto ao indeferimento ou negativa de acesso à informação e/ou documento público? 

Não. O Decreto nº 49.111/2012 prevê apenas o reexame dirigido à autoridade máxima do órgão (art. 19 do Decreto nº 49.111/2012) e o recurso à CMRI/RS (art. 21 do Decreto nº 49.111/2012).

16. Existem informações públicas e/ou documentos públicos sigilosos? 

Sim. Nas informações públicas e/ou documentos públicos são resguardados por sigilo os dados pessoais (art. 5º, inciso X, da Constituição Federal e art. 10, inciso II, do Decreto nº 49.111/2012); hipóteses legais de sigilo; segredo de justiça; segredo industrial decorrente da exploração direta de atividade econômica pelo Estado ou por pessoa física ou entidade privada que tenha qualquer vínculo com o Poder Público (art. 10, inciso III, do Decreto nº 49.111/2012); bem como informações classificadas em grau de sigilo (reservado, secreto, ultrassecreto), nos termos do art. 10, inciso I, e arts. 11 a 15, todos do Decreto nº 49.111/2012, combinados com os procedimentos constantes no Decreto nº 53.164/2016.

17. Qual a diferença entre um pedido de acesso à informação e uma dúvida? Quais os Canais adequados para o encaminhamento de um e de outro?

O pedido de informação trata de acesso a um dado e/ou documento público, com base nas hipóteses da Lei Federal nº 12.527/2011, sendo o Serviço de Informação ao Cidadão – SIC o canal competente para recebimento da demanda.A dúvida se relaciona mais com a forma como são prestados os serviços públicos(Ex. calendário de matrículas escolares, localização de Coordenadorias Regionais, onde protocolar determinado documento, etc), sendo o Canal competente o da Ouvidoria-Geral do Estado. 

1. O que é o Canal Denúncia? É o Canal do Governo do Estado do Rio Grande do Sul que recebe notícias de atos ou condutas contrários à ética e/ou à Lei praticados no âmbito do Poder Executivo Estadual (Administração Direta e Indireta, a exceção dos órgãos dotados de autonomia).

2. Quem pode denunciar? Qualquer cidadão.

3. Qual a legislação que regulamenta o Canal Denúncia? O Governo do Estado do Rio Grande do Sul regulamenta o Canal Denúncia através do Decreto nº 54.155, de 11 de julho de 2018. 

4. Como posso encaminhar uma denúncia ao Governo do Estado do Rio Grande do Sul? O cidadão que desejar encaminhar uma denúncia poderá fazê-lo por qualquer meio eficaz de comunicação, sendo preferencial a utilização do formulário eletrônico disponível no Portal Central de Informação (www.centraldeinformacao.rs.gov.br), conforme dispõe o art. 5º do Decreto nº 54.155/2018.

As denúncias encaminhadas pelo meio físico poderão ser entregues no Protocolo-Geral da Secretaria da Casa Civil ou nos Postos de Atendimento Presencial (Centro Administrativo Fernando Ferrari – CAFF ou TudoFácil-Centro).

5. É preciso me identificar para encaminhar ao Canal Denúncia alguma notícia de ato ou conduta contrário à ética e/ou à lei praticados no âmbito do Poder Executivo Estadual? Há opção de sigilo? Há opção de denúncia anônima? Caso a denúncia seja encaminhada pelo formulário eletrônico disponível no Portal Central de Informação (www.centraldeinformacao.rs.gov.br), é necessário que o denunciante preencha, no primeiro acesso, o Login Cidadão (onde são lançados os seus dados de identificação). Neste caso, a sua identidade será conhecida, a menos que solicite, expressamente, o sigilo a respeito da mesma (art. 5º, inciso I, do Decreto nº 54.155/2018). Também é admitido o envio, pelo meio físico, de denúncia anônima (art. 5º, §1º, do Decreto nº 54.155/2018).

Obs.: Quando solicitado o sigilo, a identidade do denunciante será de conhecimento exclusivo da Gestão Central do Canal Denúncia, lotada na Subchefia de Ética, Controle Público e Transparência da Secretaria da Casa Civil (art. 6º do Decreto nº 54.155/2018).

6. O que posso denunciar? 

  • utilização inadequada do patrimônio público;
  •  uso indevido de recursos orçamentários;
  •  exercício negligente de cargo público;
  •  exercício abusivo de cargo público, emprego ou função;
  •  cometimento de infrações disciplinares;
  •  prática de atos de corrupção e/ou improbidade administrativa que possam ferir a ética e/ou a Lei e/ou estatuto;
  •  contratação irregular de servidores;
  •  contratação irregular de obras, serviços, compras, alienações e locações;
  •  irregularidades em processos licitatórios;
  •  irregularidades na execução de despesas em convênios ou contratos firmados por órgãos ou entidades do Poder Executivo Estadual;
  •  uso indevido de veículos oficiais;
  •  acúmulo indevido de cargos públicos;
  •  assédio moral;
  •  Demais atos ou condutas contrários à ética e/ou à Lei praticados no âmbito do Poder Executivo Estadual.

* Rol exemplificativo.

7. Qual o prazo para a apuração da minha denúncia? A regra-geral é a de que o prazo seja de 20 (vinte) dias, prorrogáveis, mediante justificativa expressa, por mais 10 (dez) dias, nos termos do art. 9º do Decreto nº 54.155/2018.

Contudo, caso seja instaurada sindicância ou procedimento específico para a apuração da denúncia no órgão ou entidade a que se relaciona, o prazo será readequado para o procedimento adotado, sendo o mesmo devidamente comunicado ao cidadão (art. 10, parágrafo único, do Decreto nº 54.155/2018).

Por fim, se por ventura a denúncia tratar de matéria criminal, o prazo poderá ser novamente readequado, desde que o titular ou o dirigente máximo do órgão ou entidade apresente fundamento que demonstre dificuldade insuperável para o cumprimento dos prazos regulares (art. 11, §2º, do Decreto nº 54.155/2018).

8. Há posto presencial para atendimento do Canal Denúncia? Sim, possuímos um posto presencial no CAFF e outro no Tudo Fácil - Centro. 

CAFF- Centro Administrativo Fernando Ferrari

Av. Borges de Medeiros, nº 1501, Térreo

Porto Alegre/RS

Dias e horários de atendimento: De segunda à sexta-feira, das 8h30min às 12h e das 13h30min às 18h

TUDOFÁCIL - Centro

Av. Borges de Medeiros, nº 521, 4º pavimento, Setor 11

Porto Alegre/RS

Dias e horário de atendimento: De segunda à sexta-feira, das 8h30min às 13h30min e das 15h às 18h.

01. O que é uma ouvidoria pública? É uma instituição que auxilia o cidadão em suas relações com o Estado. Deve atuar no processo de interlocução entre o cidadão e a Administração Pública para que as manifestações decorrentes do exercício da cidadania provoquem a melhoria dos serviços públicos prestados.

02. O que é a Ouvidoria-Geral do Estado?

A Ouvidoria-Geral do Estado (OGE/RS), vinculada à Casa Civil, é o órgão central do Sistema Estadual de Ouvidoria do Poder Executivo Estadual – SEO/RS, instituído pela Lei nº 14.485, de 30 de janeiro de 2014. É responsável por receber, examinar e encaminhar as manifestações referentes às reclamações, solicitações, sugestões e elogios.

03. Como posso registrar minha manifestação?

A OGE/RS oferece atendimento pelo site da Central de informação, presencial, por e-mail, telefone, correio ou por recebimento das demandas enviadas para o Gabinete do Governador.

04. É necessário que tenha minha identificação?

Ao encaminhar a sua manifestação deverá ser obrigatoriamente fornecido o nome, endereço de contato e telefone. 

05. E o sigilo de minha identidade será mantido?

O sigilo de sua identidade será preservado, quando expressamente manifestado no campo específico do formulário.

06. O que acontece com minha manifestação após o registro?

Após o registro da demanda no SEO/RS é enviado um número de protocolo para o demandante. A OGE/RS analisa, valida ou solicita complemento, se necessário, e encaminha para o órgão/entidade  demandado.

07. Qual o prazo de resposta?

Conforme o art. 15 da Lei nº 14.485, de 30 de janeiro de 2014, o prazo para a resposta é de vinte dias, prorrogáveis por mais dez, mediante justificativa expressa do órgão/entidade demandado.

08. E se eu não souber o canal para receber minha manifestação?

Não tem problema, a Ouvidoria-Geral do Estado transfere, via sistema informatizado, para o canal adequado (SIC ou Denúncia).

09. Eu posso ser atendido pessoalmente?

Sim, a Ouvidoria-Geral possui dois pontos de atendimento pessoal localizados:

Centro Administrativo Fernando Ferrari - CAFF
Rua Borges de Medeiros, n° 1501 - andar térreo - Ala Norte
Bairro Centro Histórico - Porto Alegre -RS

Tudo Fácil - Centro
Av. Borges de Medeiros, 521 - 4º Pavimento, Setor 11
Bairro Centro Histórico - Porto Alegre -RS

10. A ouvidoria atende questões judiciais?

Questões judicializadas estão fora do Sistema Estadual de Ouvidoria, devendo o cidadão, procurar a instância referente ao seu processo para maiores informações.

11. Qual a função da Ouvidoria-Geral?

A Ouvidoria-Geral do Estado desempenha a função de órgão central do Sistema Estadual de Ouvidoria do Poder Executivo Estadual - SEO/RS, instituído pela Lei nº 14.485, de 30 de janeiro de 2014.

Central de Informação